Nova atração do canal E! Entertainment, dirigida por Maristela Mattos, transforma mulheres em drags queens a partir do dia 20 de novembro. “Drag me as a queen” é apresentado por Ikaro Kadoshi, Penelopy Jean e Rita Von Hunty. Em cada episódio, o trio ajuda as convidadas a descobrirem a diva dentro delas e a trabalharem a autoestima.

 

Com duração de 30 minutos, o primeiro programa de televisão comandado por drag queens na história da América Latina é dividido em três blocos. O primeiro é dedicado a apresentação das participantes, o segundo mostra o processo da montação, incluindo escolha do nome drag, do vestuário, da maquiagem, e o último exibe o resultado final aos familiares e amigos: a performance.

 

Kadoshi, Jean e Von Hunty conduzem o show como verdadeiras fadas madrinhas, mostrando que é possível se empoderar por meio da moda e da arte. Durante suas transformações, as mulheres compartilham os problemas de autoestima e as opressões que sofrem no dia a dia.

 

“Quero levar a arte das drag queens para fora dos palcos. O programa me dará alegria de agradecer às mulheres, porque sem o feminino a drag queen não existiria”, afirma Kadoshi. Conhecido por sua estética andrógina e pelas performances dramáticas e teatrais, há 16 anos o artista atua na cena drag brasileira e internacional.

 

 

Apresentadoras Rita Von Hunty, Ikaro Kadoshi e Penelopy Jean do programa “Drag me as a Queen”
[Foto: arquivo pessoal]

“A sociedade e o mundo moderno nos pressionam cada vez mais, em especial o sexo feminino. Então queremos fazer com que a mulher pare, se olhe no espelho, se maquie, coloque um figurino e se perceba na sua totalidade de essência feminina”, complementa Kadoshi.

 

“Drag é libertação, é empoderamento e é o majoritário exercício de se colocar no lugar do outro. Muitas vezes o outro é oprimido, esquecido pela sociedade, enfraquecido e explorado”, acrescenta Rita Von Hunty. Com seu estilo pin-up, a queen já tem experiência como apresentadora em seu canal no Youtube Tempero Drag, onde ensina receitas veganas.

 

O gênero feminino em “Drag me as a Queen” não é protagonista apenas em frente às câmeras, cerca de 95% da produção do programa é composta por mulheres, cenário oposto ao da televisão brasileira. De acordo com a pesquisa da Agência Nacional do Cinema (Ancine), em 2016, a participação feminina foi de 38% na produção executiva, 15% na direção e 6% na direção de fotografia.

 

Pré estreia “Drag me as a queen – Uma diva dentro de mim”

Em comemoração à criação do programa, o primeiro episódio foi exibido, durante a festa Priscilla, na última sexta-feira (10), e o InDRAG acompanhou tudo de perto. Durante os intervalos entre os blocos, artistas consagradas como Silvetty Montila, Márcia Pantera, Alexia Twister, além das próprias apresentadoras, performaram.

 

Em homenagem às mulheres, a última atração da noite foi o grupo Riot Queens (leia mais), coletivo de lady queens, que se apresentaram ao som de “We are the Champions” do Queen e “Express Yourself” da Madonna.

A primeira temporada estreia no dia 20 de novembro, às 22h, no canal E! Entertainment, e será exibida no Brasil e na América Latina.

 

Comentários

Comentários